Parabéns menino dos caracóis dourados!

Noah, hoje é para ti que escrevo. Faz hoje 3 anos, 3 anos apenas, que sabem a tanto mais… Têm sido 3 anos intensos…

FullSizeRender-4.jpg

Posso dizer, sem qualquer dúvida, que até hoje foste o filho que mais vezes me beliscou o coração. Temos tido momentos bem atribulados (“bota atribulado nisso!”). És o meu menino dos caracóis dourados e foi contigo que aprendi a reconhecer a fragilidade da vida. Sei agora que “os filhos não são nossos filhos, são filhos de Deus, um empréstimo que Ele nos faz”. Não consigo imaginar maior responsabilidade que esta e nenhuma mais bonita também…

Espero que quando cresceres tenhas esse grande poder de unificar pessoas, tal como agora unificas clubes :)!

Vivi a nossa gravidez desde as 18 semanas cheia de medo de te perder, estavas com tanta vontade de conhecer o mundo… Aprendi, forçada, a viver cada dia como mais uma vitória. E depois, quando finalmente decidiste que era hora de vires ao mundo, trocaste-me as voltas todas.

Eu já desconfiava que não ias ficar muito mais tempo cá dentro, mas tinha alguma esperança que esperasses até depois do Natal. Mas também aí tiveste a tua maneira “subtil” de me mostrar o que é realmente importante. Passámos um Natal muito especial, só os dois, no quarto do hospital. Foste e és o meu menino Jesus e eu senti-me e sinto-me abençoada. Estiveste todo o tempo ao meu colo, mas considero que não te dei mais do que aquilo que era teu por direito. Na verdade deverias ter ficado mais 3 semanas em colo exclusivo. E voltamos novamente àquilo que eu acredito Noah, colo não faz mal às crianças, a falta dele sim!

Tinhas pouco mais de 2 semanas quando voltaste ao hospital. Ficaste internado, porque não sabiam ao certo o que tinhas, e enquanto não se descobrisse o que estava a causar as apneias não te podiam deixar vir para casa. Posso-te dizer sem qualquer dúvida que foi a pior semana da minha vida. Ainda hoje fico ansiosa se ouço o som do alarme do hospital… Mas sabes… no meio de tantas lágrimas nessa semana, houve muito, muito amor. Foste muito acarinhado por todas as enfermeiras (era impossível resistir a uma coisa tão linda e tão pequenina), tu e eu também… Foram várias as vezes que, para eu poder descansar um bocadinho a meio da noite, eram elas que te mudavam a fralda ou te davam colinho. Nem elas imaginam como esses gestos fizeram tanta diferença.

É nestas alturas de aflição que reaprendemos que somos todos iguais. Não importa se és branco, preto, cinzento, cigano, holandês… Há uma coisa muito bonita que é a solidariedade entre as pessoas. Uma das coisas que mais me marcou nestes dias foi um momento em que a meio da noite o teu alarme disparou. Entre eu conseguir pegar em ti no meio de todos os fios, das lágrimas, foi uma mãe que estava acordada no quarto ao lado (por acaso cigana) que olhou para mim através da janela e não foi preciso dizer-lhe nada, ela saiu do quarto a correr com a filha ao colo a gritar pelas enfermeiras. Sabes Noah, as mães também têm estes super poderes. Às vezes basta um olhar, não precisamos dizer nada. Sou eternamente agradecida por termos tido a sorte de tudo acabar bem e por seres o “fortalhão” que és!

Ao teu lado o meu estado normal é de alerta máximo! Sobes a móveis, atiraste sei lá de onde, engoles moedas, cais, levantas-te para depois caíres e no entanto tens sempre esse sorriso (tão igual ao Henry o monstro feliz) que nos delicia.  Precisas de atenção, mas de uma forma diferente do mano. Choras como uma fonte, as lágrimas até saltam… És o nosso gato das botas, tão difícil de resistir. Quando fazes asneiras, às vezes ainda me está a subir o sangue à cabeça e já tu disseste meia dúzia de vezes “Mamã, mamã, mamã, xculpa, mamã??? eu já pedi xculpa”. E claro que assim que o sangue me sobe à cabeça, já desceu. E com isto já me partiste 3 colares quando te penduras em mim. É que sabes as mães são baloiços, são cadeiras, são colo, são tudo, mas também gostam de andar bonitas. Felizmente tenho tido a sensatez de não usar brincos longos… nem quero imaginar que só de pensar dói.

Para ti as águias, são do “Spóting” e o vermelho também. E quando te pergunto qual é a cor do Benfica, tu dizes-me que é a mesma! Espero que quando cresceres tenhas esse grande poder de unificar pessoas, tal como agora unificas clubes :)!

És o meu filho do meio e deitaste por terra os clichés de que o filho do meio não recebe tanta atenção, que vive na sombra dos irmãos.  É verdade, és o irmão do meio… e que sorte que tens por ser o irmão do meio. Eu gostava de ser irmã do meio sabes? Ter um irmão mais velho que me protegesse e um irmão mais novo para proteger e os dois para brincar.

Odeio essa teoria, na verdade odeio tantas outras teorias que catalogam pessoas, que nos fazem crer que só há uma maneira certa de fazer as coisas… Não há só uma maneira certa Noah. Há uma maneira que se adequa melhor a cada um de nós. No entanto nos próximos anos só vai haver uma maneira certa para ti e é aquela que nós te dizemos, porque acreditamos que é a melhor para ti e por enquanto, apesar de todas as imperfeições, somos os teus pais “a tentar” ser perfeitos. Um dia mais tarde, vais descobrir que não sou perfeita e que não tenho super poderes, mas há uma coisa que podes ter sempre a certeza, amo-vos da minha melhor maneira.

A perfeição é aborrecida Noah, não deixa nenhum espaço para melhorar. E uma vida sem desafios não tem sabor nenhum. É “bleeuh” como tu dizes.

E quando fores grande e leres este texto quero que também saibas só mais uma coisa.

O mano é a TUA pessoa! Tenho orgulho de ver a força do vosso amor (confesso que nem tanto das chapadas que às vezes acontecem…) e dos gritos “psiu psiu psiu” quando correm um atrás do outro com armas invisíveis e o “sai da frente princesa” que vocês gritam cá por casa.

AMO-TE Noah, Muitos parabéns meu amor! 3 anos de uma vida tão linda cheia de tropeções inocentes que me (nos) preenche e inunda de amor todos os dias. Cá estaremos sempre para celebrar todos anos, sempre!

Autor: tatimarga

Sou uma pessoa em construção, que acredita que o que realmente importa na vida é ser feliz (e fazer os outros felizes). Já fui investigadora, já trabalhei num banco (não gostei) e agora decidi fazer aquilo que realmente gosto - explorar o meu lado criativo. Sou designer de padrões e escrevo. Escrevi o livro "o menino e a gaivota" e escrevo os textos para este blog. Mas, aquilo que me tem ajudado a conhecer melhor como pessoa é a maternidade. Sou mãe de 3 pessoas (fantásticas!) em construção: O Liam, o Noah e a Anoek. Eles são o meu projeto mais importante e mais ambicioso e aquele que provavelmente tem e terá mais impacto no mundo. Cada um deles influencia e vai influenciar a vida dos que os rodeiam e por isso guiá-los para serem boas pessoas é uma tarefa muito especial e muito importante. Através deles e através de mim quero fazer a diferença todos os dias!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s