Ninguém se queixa sem doer

De há 5 anos para cá que as minhas saídas à noite têm sido maioritariamente acompanhadas por menores que não sabem assinar o seu nome. Normalmente vamos até ao hospital da Estefânia a pé e depois, quando necessário, até a uma farmácia de serviço. De há 5 anos para cá tenho tido bastantes passeios destes, bem mais do que gostaria até.

Com toda a sinceridade senti que não aguentava, ou que não queria aguentar, mais uma noite como as anteriores.

Quando a noite passada ameaçava ser igual às 3 últimas decidi levar-te ao hospital. Com toda a sinceridade senti que não aguentava, ou que não queria aguentar, mais uma noite como as anteriores. Ia mover-me a modo desespero, sem saber como te ajudar. Não podias estar assim há 4 noites sem motivo. E afinal a minha avó mais uma vez tem razão… como ela diz “Ninguém se queixa sem doer…”

Quando te estava a preparar para o passeio noturno reparei que tinhas líquido no ouvido, mas não sabia se seria isso aquilo a que chamam purgar do ouvido. Acontece que quando chegámos ao hospital estavas como nova, super bem disposta, nada queixosa. Pensei que me iam achar louca… Quem é que ia acreditar que tinhas passado a últimas horas a queixar-te e a chorar sempre que te deitávamos?? Tinhas razão para te queixar, porque tinhas realmente uma otite. E ao que parece quando as otites purgam deixa de doer ou pelo menos o alívio é imediato.

Deixei-te em casa e fui até uma farmácia de serviço comprar o antibiótico. Não tenho medo de andar às 2h da manhã na rua sozinha, aliás gosto de andar em Lisboa à noite. É calmo, sem ser deserto… e relaxa-me. Não fosse a caminho encontrar o ratatouille e a sua família… Confesso que demorei algum tempo (3 sinais vermelhos) até ter coragem para atravessar a estrada… E só o fiz depois das criaturas terem momentaneamente voltado à dispensa.

Eles voltaram à dispensa ou à cozinha, eu voltei para casa. Tu tens uma otite que vai passar e a minha avó tem mais uma vez razão “ninguém se queixa sem doer”.

E, voilá, espero que as próximas noites sejam melhores e mais longas.
Esta foi curta, mas foi melhor.

Bom dia!

Autor: tatimarga

Sou uma pessoa em construção, que acredita que o que realmente importa na vida é ser feliz (e fazer os outros felizes). Já fui investigadora, já trabalhei num banco (não gostei) e agora decidi fazer aquilo que realmente gosto - explorar o meu lado criativo. Sou designer de padrões e escrevo. Escrevi o livro "o menino e a gaivota" e escrevo os textos para este blog. Mas, aquilo que me tem ajudado a conhecer melhor como pessoa é a maternidade. Sou mãe de 3 pessoas (fantásticas!) em construção: O Liam, o Noah e a Anoek. Eles são o meu projeto mais importante e mais ambicioso e aquele que provavelmente tem e terá mais impacto no mundo. Cada um deles influencia e vai influenciar a vida dos que os rodeiam e por isso guiá-los para serem boas pessoas é uma tarefa muito especial e muito importante. Através deles e através de mim quero fazer a diferença todos os dias!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s